Custo médio: o que é e como calcular

Saber calcular o custo médio é essencial para a boa gestão de seu estoque e é o método mais simples de manter o controle sobre o valor das mercadorias que a sua loja tem armazenadas e as que já foram vendidas.

A gestão financeira da sua loja deve ter como principal objetivo a redução de perdas e a possibilidade de estimar quase com exatidão suas futuras margens de lucro. A principal maneira de manter esses fatores sob controle é por meio da gestão do estoque de seus produtos.

Esse gerenciamento pode ser feito por meio de várias metodologias, entre elas o PEPS (Primeiro a Entrar é o Primeiro a Sair), UEPS (Último a Entrar é o Primeiro a Sair) e Custo Médio, que é o cálculo que vamos explicar nesse artigo.

O Custo Médio é o método mais conhecido e mais recomendado, não só por ser o mais fácil de ser calculado, mas também por ser uma das formas de cálculo aceitas pela legislação do imposto de renda. Outra vantagem é que os resultados desta avaliação nivelam as flutuações de preço das mercadorias, refletindo os custos reais de aquisição dos produtos.

O que é o custo médio

O conceito é bem simples: custo médio, também chamado de preço médio ponderado é basicamente o resultado da divisão do saldo financeiro pelo físico. Ou seja, o CM é alcançado pela soma do investimento, dividido pela quantidade de itens comprados e em estoque. Vamos a um exemplo de como é simples:

Vamos imaginar que no início do mês a sua loja comprou 100 peças de um produto por R$ 500,00. Então, ainda no mesmo mês, você comprou mais 200 unidades deste mesmo item, desta vez pagando R$ 1.150 por elas. Qual é o custo médio desta mercadoria?

Simples: você deve somar os custos totais investidos no produto (R$ 500 + R$ 1.150) = R$ 1.650. Agora você deve somar o número total de peças compradas no período (100 + 200) = 300. O custo médio é o resultado do valor total dividido pelo número total de peças, ou seja: 1.650 / 300 = R$ 5,50.

O preço médio de cada unidade é de R$ 5,50.

Esta média é recalculada cada vez que você atualiza o seu estoque com este mesmo produto. Fácil, não é?

Ainda é possível dividir o CM em Custo Médio Ponderado Fixo e Custo Médio Ponderado Móvel.

Custo Médio Fixo Ponderado Fixo

Esta abordagem deve ser feita somente se a sua empresa faz controle de inventário em um período único, como no início ou no final do mês. O cálculo é o mesmo, sendo apenas feito uma única vez, garantindo uma visão periódica fixa de seu Custo Médio.

Custo Médio Ponderado Móvel

Esta é a alternativa caso você faça a verificação do seu estoque com frequência. O Custo Médio Ponderado Móvel vai considerar os valores que variam em cada compra ou em cada processo de produção. Quanto maior o número de produtos adquiridos, maior o preço unitário e quanto menor o número de itens, também menor é o preço de cada unidade.

É esta facilidade de cálculo, aliada com as demais vantagens da fórmula, que faz com que o Custo Médio seja o método de avaliação e controle de estoque mais usado pelas empresas atualmente.

Custo médio: homem de negócios usando uma calculadora

Controle de estoque

Nenhuma empresa chega a ser grande se não perceber que deve investir em controle de estoque, já que números que parecem fáceis de se controlar de cabeça, durante o início do negócio, acabam ficando cada vez mais complexos com o passar do tempo, com as compras de novas mercadorias e com as renovações constantes de estoque.

Se as mercadorias que você comercializa forem, por exemplo, produtos que tenham prazo de validade, um bom gerenciamento de estoque pode garantir que os itens que você coloca nas prateleiras estejam sempre dentro do período de consumo, assim como os itens que ainda estão no estoque, que ainda terão um bom prazo de validade até que cheguem às prateleiras.

Além disso, com a rotatividade correta destas mercadorias, a sua empresa evita o acontecimento de estoque morto, que é quando a sua mercadoria não pode ser mais vendida, seja por ter passado de seu prazo de validade, seja por ter saído de moda.

Assim como em todo tipo de gestão bem feita, os benefícios do controle de estoque se enfileiram e se espalham para todas as áreas do seu negócio, como em um efeito dominó: acabando com os estoques mortos, a sua loja começa a economizar nos custos de armazenagem, já que terá bastante espaço sobrando.

E esta economia pode permitir que você invista em novas mercadorias, ou mesmo em itens diferentes do que costuma vender e que poderão ser armazenados justamente no espaço vago que possibilitou tal economia. Simples o ciclo, né?

É através deste controle de estoque que você terá uma visão mais ampla do funcionamento de toda a sua loja, já que a abordagem permite:

  • Que você saiba os produtos que têm mais giro.
  • Melhor gestão dos produtos que devem ser repostos no estoque
  • Otimização do espaço de armazenamento da sua loja
  • Melhor a logística como um todo, permitindo uma melhor comunicação entre os setores de compra e venda.
  • Redução de perdas de produto por prazo de validade.

Custo médio: Arara com roupas masculinas bonitas

Os sistemas de gestão de estoque são muito mais do que uma opção para a sua empresa, e sim uma obrigação, já que para crescer, uma loja deve aprimorar e monitorar os seus processos, de forma que a resolução de problemas se dê de maneira simples, reduzindo custos e as possibilidades de erro.

À primeira vista parece complicado, mas quanto antes a sua empresa adotar estas estratégias, melhor. Além disso, vale lembrar, que nada disso vai ser feito manualmente, no caderninho, uma vez que já existem aplicativos que automatizam completamente estes processos.

Teste gratuito

Quando bem aplicada, esta metodologia garante também a otimização e o aprimoramento dos processos em todos os setores da sua empresa.

Apesar de parecer ser um desafio, o controle de estoque é um dos principais fatores para o sucesso na otimização dos processos de sua loja. Um estoque bem gerenciado garante que você tenha a mercadoria certa na hora certa, facilitando a vida do setor de vendas. É este controle também, que garante que você não terá dinheiro, em forma de mercadoria, parado em seu negócio.

E como todos os setores de uma empresa estão interligados, um bom desempenho no gerenciamento de estoque se reflete positivamente nas demais áreas da sua loja.

Tags In
134 / 160

2 Comments

  1. Tiago 13 de novembro de 2018 at 14:13

    Falando de Custo Médio, caso eu tenha um produto em estoque com um custo médio de 30,00 e compro esse mesmo produto de outro fornecedor, porém com o custo de 18,00. Esse produto ao entrar em meu estoque ele deverá ser colocado e calculado pelo custo médio ou também posso alterar meu sistema colocando o custo de 18,00, apenas?

    1. Stéfano Willig
      Stéfano Willig 15 de novembro de 2018 at 8:16

      Bom dia Tiago, tudo bem?

      Esta é uma escolha sua. Você pode fazer o custo médio e colocar no sistema ou você poderá manter um dos custos (30 ou 18).

      Depende de como você quer se organizar e de como você quer fazer a precificação do seu produto.

      Se você deixar o custo no valor de 18 talvez você irá perder dinheiro nos itens que pagou 30. Você perde dinheiro caso venda a menos de 30.

      É interessante analisar qual é a venda deste produto, se você irá perder dinheiro mantendo ele parado no estoque, faça o custo médio e venda pelo preço novo aplicando a margem, assim você liquida o estoque que tem, inclusos os de 30 e os de 18.

      Já, se é um produto que vende muito, mantenha o custo em 30 e venda pelo preço baseado no custo de 30, situação na qual você irá ganhar mais lucro nas que te custaram 18…

Deixe uma resposta

Required fields are marked

WordPress Theme built by Shufflehound. QuantoSobra | www.QuantoSobra.com.br | Software de Gestão - ERP para Micro e Pequenas Empresas

Compartilhe com um amigo