Marketing Digital no Varejo: Como começar a fazer inbound marketing na minha loja

A cada dia que passa nos encontramos em uma encruzilhada na internet, são tantos conteúdos e produtos que acabamos perdidos no meio de diversas oportunidades. E quem trabalha com esse tipo de negócio ou quer começar com inbound marketing), pode pensar que essa área não é pra você, já que são muitas empresas utilizando esta abordagem no mercado, certo? Então você para e pergunta “O que posso fazer para me sobressair? Ou o que começar a fazer?”

Essas perguntas podem ser difíceis de se responder no primeiro momento já que cada negócio tem suas particularidades e não temos todas as soluções exatas, então vamos tentar ajudá-lo!

Neste artigo procuramos para você algumas dicas que podem lhe ajudar estruturar o inbound marketing no varejo, já que essa era digital é cada vez mais uma luta pela sobrevivência, pois o que pode ser novo hoje se torna velho amanhã, e você quer fazer seu negócio prosperar! As informações correm muito rápidas e acabam vindo de todos lugares, só temos que saber por onde começar, ter claro que nossos clientes precisam de qualidade e algo que possa ser envolvente para eles, que os fidelize.  E dessa forma chegamos a quatro dicas fáceis, de inbound marketing no varejo, que você pode começar implementar: marketing para mídias sociais, marketing pelo e-mail, marketing de conteúdo e curadoria de conteúdo.

Mas antes de você dar continuidade na leitura ou começar aplicar as dicas de inbound marketing na sua loja (marketing de varejo digital), precisa ter atenção para certos pontos que são necessários definir antes das dicas que serão abordadas. Primeiro, você deve ter ideia de qual resultado você quer ter com cada mudança, ou seja, definir metas, projetar resultados e em quanto tempo essa ação irá levar, como por exemplo: “aumentar 30% de vendas, de 70 peças vamos vender 100, dentro de um prazo de 30 dias”.  Segunda questão, é saber qual deve ser seu público alvo, para conseguir definir melhorar as estratégias e assim criar melhores ofertas. O terceiro ponto é a oferta, que você pode definir após algumas pesquisas de mercado para saber o que é melhorar para seu futuro cliente e depois focar no que é preciso para determinada estratégia.

Vamos as dicas!

  1. Marketing nas Mídias Sociais ou Redes Sociais

O marketing das mídias sociais é vital para qualquer negócio que queira vender online! É a ferramenta que ajuda a propagar a sua marca de maneira mais rápida e eficiente, ajudando na comunicação da sua marca com o cliente.

Seus clientes em potencial podem ser influenciados a se envolver com você por meio de widgets das redes sociais e compartilhamento social da sua web page e e-mail. Usar frases ou palavras chaves para chamar atenção como “para saber mais, visite nosso Facebook” ou “siga-nos no Instagram” também é uma boa prática. Utilizar o Whatsapp é uma boa para chamar seu cliente e mostrar produtos novos, fazer cupons ou promoções pelas redes sociais, até mesmo interagir com os clientes pelo Twitter e através dos comentários do site. Isso demonstra que você tem uma preocupação em relação às necessidades daquelas pessoas, que acabam mais propensas a investir na sua marca após esse tratamento.

Deixar seu cliente feliz é relacionar essa felicidade a sua marca e certamente após as boas experiências eles irão compartilhar a compra positiva com um amigo ou familiar, encorajando-os a segui-lo também. Um plano bem estruturado de marketing nas redes sociais pode fixar sua marca de forma definitiva no mapa ao manter uma comunicação com seu público de consumidores e é uma nova forma de os atrair – e os manter.

Lembrando que as redes sociais também podem ajudar a impulsionar as vendas tanto da loja física quanto da virtual!

  1. Marketing pelo E-mail

Marketing por e-mail é uma forma de comunicação com clientes potenciais e os clientes já prospectados. Para o varejo, essa forma de se comunicar, é passar informações de novas tendências e também é uma oportunidade de envolver aqueles que abandonaram em algum momento seu carrinho de compra on-line sem finalizar uma compra.

O e-mail é uma chance de mostrar para seu cliente que você está ligado às necessidades, hábitos de compra e desejos. Você pode achar recursos que lhe permite essa distribuição para determinados compradores, como aqueles que gostam de vestidos, calçados, perfumes, etc.

Mas não se esqueça, faça e-mails criativos com as informações necessárias e não coloque tópicos longos, que podem se tornar cansativos e desnecessários a pessoa que o recebe. O sucesso do seu e-mail, de acordo com uma pesquisa da HubSpot,  é quando os leitores olham para seu e-mail e sabem o valor que ele fornece a eles dentro de cinco segundos, caso não tenha certeza da eficácia do seu e-mail, procure recursos que o ajude a medir as taxas de cliques.

  1. Marketing de conteúdo

Confiança e lealdade, isso que faz seu cliente ou no caso futuro cliente se manter fiel a sua marca. E a grande ferramenta de geração de conteúdo no varejo são os blogs, são eles que proporcionam para seu cliente mesmo não estando fisicamente na loja, informados em relação às novidades da loja. Se você postar conteúdos comunicando ao cliente as últimas novidades da moda ou que tem aquela peça de roupa que a atriz famosa usou na novela, é uma chance de deixar seu cliente confiante em relação aos produtos que vende.

Você pode criar um calendário com os conteúdos que seriam importantes para gerar a seu cliente, como troca de estação (moda inverno/ moda verão), semana da moda, guias de compras, relatórios, histórias etc. E seu cliente quer isso, quer sua atenção, está sedento por novidades e é você que pode entregar isso pra ele!

E fique ligado! As pessoas querem ouvir sobre o que você tem a oferecer a ela, algo que satisfaça as necessidades e desejos dela. Ou seja, não se auto promova ou pense em escrever textos com palavras estratégicas para “vender mais”, humanize suas histórias e conteúdos. Simplesmente seja o que você e sua marca devem ser!

  1. Curadoria de Conteúdo

A geração de conteúdo para o varejo pela internet pode ser esmagadora e o seu produto ou serviço apresentado na internet, seja pelo seu site ou redes sociais deve ser muito bem disposto, em uma forma agradável, com ferramentas que facilitem essa visão e que a venda do produto em si não precise ser o principal foco. Quando ver um determinado produto, o cliente deve ter vontade de compra-lo naquele exato momento, pois pode ser algo único e diferente, que ninguém mais tenha ainda.

A Pinterest que se denomina “o catálogo mundial de ideias”, é um grande exemplo de ferramenta curadora que possui fotos e imagens com sublinks para acesso, que são de outros sites, blogs, etc. Essa rede social, que ainda não se compara ao Facebook, publica fotos bonitas, de roupas bem apresentadas, comidas que parecem ser saborosas, dicas em geral, lugares incríveis que você quer passar as férias ou sonha em ir. E por trás de tudo isso existe a marca que adicionou a imagem para a Pinterest publicar, ou seja, ao “marcar” a imagem que chamou atenção, você encontra o link que possui a imagem e claro que se você gostar pode acabar comprando o produto que acabou de te encantar.  

O interessante da curadoria não é apresentar um produto ou serviço tão bonito e perfeito que possa influenciar no poder de compra do cliente, mas que apresente de uma forma diferente, que os seus clientes vão querer compra-lo! Ou seja, você pode e deve ir além da sua marca, usar outras plataformas que entreguem seu produto.

“Um estudo realizado em 2011 pelo site www.convinceandconvert.com analizou as duas formas de conteúdo, anúncios comuns e os curadores, e qual seria a reação dos clientes em relação a elas. E as marcas que publicaram conteúdos “curados” vinculados a sites de terceiros experimentaram um aumento de 33% em cliques do que aqueles com conteúdo original ligando de volta para seu site”.

Se você quiser aplicar a curadoria tem que fazer muita pesquisa pra saber qual o melhor canal de acordo com seu negócio, que fonte é melhor de começar e a dica principal é usar as redes sociais.

Essas 4 dicas vão muito além do produto ou serviço disponibilizados pela sua marca, influenciam diretamente na performance do negócio e é muito mais positiva!

O inbound marketing é somente uma ferramenta que vai ajudar nesse processo de se posicionar no mercado de uma forma diferente e inteligente dos seus concorrentes. Com estas dicas você, empreendedor, pode enxergar seu negócio de uma forma que antes não tinha conseguido e tem a oportunidade de aumentar o fluxo de clientes a partir de pequenas implementações e que são acessíveis a você. Nunca se esqueça que ao implementar uma estratégia de inbound marketing, é interessante que você possa sempre analisar os resultados obtidos, assim vai saber o que deu certo ou errado e como melhorar.

>> Leia também o nosso artigo Marketing de Varejo Digital: Como utilizar a internet a seu favor para vender mais

Se quiser saber um pouco mais sobre as tendência de 2017 no mundo digital pra te ajudar a definir melhor qual estratégia usar no seu negócio, confira o vídeo com as dicas da Luana Franco:

E caso você consiga aplicar nossas dicas, nos conte sobre sua experiência!

Referências

104 / 318

Deixe uma resposta

Gostou? Compartilhe com a sua rede!

Ajude seus amigos a também aprenderem mais de forma gratuita e vamos fazer do Brasil um lugar com melhores empresas!

Send this to a friend